Celebridades

Justiça condena Zeca Camargo a desembolsar uma grana preta ao pai de Cristiano Araújo

O apresentador da rede globo Zeca Camargo foi condenado a pagar R$ 60 mil por danos morais a João Reis, pai do cantor Cristiano Araújo, que morreu em um acidente de carro trágico em junho de 2015. O jornalista publicou uma crônica num telejornal da GloboNews questionando a repercussão da morte do cantor e o tamanho da fama e sucesso do músico. A família ao tomar conhecimentos desta declaração, se sentiu ofendida com o texto do apresentador e o colocou na justiça.

A sentença foi dada pela juíza Rozana Fernandes Camapum, da 17ª Vara Cívil de Goiânia, e publicada no “Diário de Justiça” de Goiás. Zeca Camargo postou em suas redes sociais que vai recorrer a decisão da juíza. Na época, além da família, diversos artistas sertanejos criticaram a postura do apresentador. Ao se desculpar pela má repercussão de sua crônica, Zeca confundiu o nome do cantor com o do jogador português “Cristiano Ronaldo”. Que gerou uma repercussão maior na mídia.

João Reis, o pai de Cristiano Araújo (Reprodução)

Zeca Camargo entrou em contato com o EXTRA e afirmou que nunca teve como objetivo ofender ou atingir o cantor: “Não posso comentar uma ação que ainda está sub judice, mas gostaria de reforçar que, em momento algum, tinha como objetivo ofender ou atingir o cantor Cristiano Araújo, seus fãs ou pessoas de sua família. E ainda assim, diante da má interpretação que ocorreu, fiz um pedido formal e público de desculpas”, Completou.

O Zeca Camargo

Zeca Camargo no início da carreira (Arquivo pessoal)

José Carlos Brito de Ávila “Zeca” Camargo, nasceu em Uberaba, é apresentador, jornalista e administrador de empresas. Zeca atualmente é um dos apresentadores do É de Casa, mas também já esteve no comando do primeiro reality show da Rede Globo, o No Limite e do jornalístico Fantástico.

Na MTV Brasil, tornou-se diretor de jornalismo e apresentou o programa MTV no Ar. Em 1994, apresentou o programa Fanzine na TV Cultura e mais tarde virou editor da revista Capricho. Depois disso, em 1996, foi chamado pela Rede Globo para apresentar o quadro “Altos Papos”, no Fantástico. Fez a série de reportagens “Aqui se Fala Português”, e “A Fantástica Volta ao Mundo”, primeira série de reportagens totalmente gerada pela internet e não por satélite. Também no canal foi um dos criadores e apresentador do reality show No Limite. E escreve um blog no G1, duas vezes por semana.

Escrever um comentário